1 de ago de 2012

Dia da Amamentação e de filosofar (Hehe)!

No dia da amamentação uma linda foto de quando a minha princesinha mamava no peito. :)


LINDA DA MINHA VIDA!
 Ela mamou apenas por 2 meses, depois meu leite foi secando. Eu queria amamentá-la muito mais, pelo menos até os 6 meses de vida, mas nem sempre as coisas acontecem como gostaríamos e temos que nos adaptar para que não nos sintamos frustradas. Eu quis, mas não deu. E nem por isso me senti menos mãe. Nem por isso fiquei achando que a minha filha teria mais problemas de saúde do que bebês que mamaram. Nem por isso deixei as pessoas me fazerem pensar que eu que não quis amamentar. Nem por isso a minha filha foi menos amada e desejada por mim. Nem por isso me culpei, pois eu sabia que o melhor estaria sempre por vir. Apenas acreditei que cada mãe tem o seu caminho e o meu era continuar amando aquele serzinho indefeso, acima de qualquer situação que me acontecesse. Minha missão no mundo era levar a felicidade ao coração da filha que eu tanto sonhei em ter e agora tinha.
Quando relembro os momentos em que a amamentei sempre me emociono, ficou na lembrança imagens lindas e inesquecíveis. Não sei se eu já estava realmente pronta para ser mãe, embora o relógio biológico estivesse apontando para isso. O que sei é que ela chegou mudando a minha vida para melhor e me mostrou que ser mãe é um aprendizado diário e eterno. A cada dia, ao encontrar o mais lindo sorriso da minha filha, descubro que estou acertando e que a fórmula mágica está baseada no amor incondicional. Amar minha filha a tornou a menina que eu sempre quis ter e amando também recebi o amor como resposta.
Hoje sei que há 3 anos eu fui a melhor mãe do mundo, assim como sei que 3 anos depois continuo sendo a melhor mãe que a minha filha poderia ter. Ninguém nesse mundo poderia amá-la da forma como eu amo! Nenhuma mãe poderia estar em meu lugar, pois a Brunna foi feita sob medida para que eu a recebesse em meus braços, guiasse pelas mãos e acolhesse no fundo do meu coração. Se é verdade que os filhos nos escolhem, eu só posso agradecer por ter sido a escolhida entre tantas outras mães desse mundo. Se a Brunna não existisse eu a inventaria e seguiria sendo a melhor e a mais feliz de todas as mães. Pois toda mãe se sente rainha e dona de um amor sem tamanho. Toda mãe é a melhor, é a que reina absoluta no coração dos filhos. Toda mãe é um pouco fada e usa sabiamente a sua varinha de condão para que todos os dias sejam felizes. Ser mãe é isso e muito mais. E é tanto que nem uma eternidade seria suficiente para continuar descrevendo.
AMAR sem limites é o segredo do amor.


Um comentário:

Débora de Paula disse...

Muito lindo seu texto, e real!
Quero muito amamentar, mas se por algum motivo eu não puder ou não conseguir, não vou ser menos mãe e nem amar menos o meu filho por isso. Trabalho bem isso na minha cabeça desde agora, para que a culpa não me atormente caso não amamente.
Parabéns pela linda Brunna!
Beijos!