30 de jan de 2011

Ótima semaninha!


Estamos escrevendo rapidinho para desejar uma ótima e abençoada semana a todos que passarem por aqui deixando um recadinho pra nossa princesa.
...E começaram as férias da mamãe, iupiiiiiiii.
Agora é só diversão!!!
Beijinhos. :~***
Ps.: Blend que a Brunna ganhou de presente com muito carinho, da tia Maíra. Ficou lindo e por isso estamos postando. Obrigada novamente titia!
Meu beijinho especial pra vc!!!

28 de jan de 2011

De acordo com estudo feito pela Universidade Copenhague, lésbicas são melhores mães!


Crianças criadas por lésbicas têm menos chances de sofrerem de depressão, anorexia, problemas de auto-estima e confiança.

Uma pesquisa publicada na Pediatrics mostra que, em média, os filhos de casais de lésbicas têm menos problemas de autoestima e confiança, vão melhor na escola e têm menos risco de desenvolver distúrbios comportamentais, como agressividade.
O resultado surpreendeu os pesquisadores, Nanette Gartrell, professora de psiquiatria da Universidade da Califórnia, e Henry Bos, cientista comportamental da Universidade de Amsterdã, como descreve uma reportagem da Times. Eles esperavam encontrar resultados semelhantes a os de pesquisas anteriores, que mostravam que a orientação sexual dos pais não influenciava o desenvolvimento e as relações sociais das crianças. Mas acabaram notando que as crianças que haviam crescido em um lar lésbico, apenas com a mãe homossexual ou com a mãe e sua parceira, tinham melhores resultados em alguns quesitos do que aquelas criadas em lares heterossexuais.
O estudo de Gartrell e Bos acompanhou 84 famílias de lésbicas desde 1986. As mães responderam a questões sobre os relacionamentos, o comportamento e o desempenho acadêmico de seus filhos em cinco vezes, em anos diferentes. Os pesquisadores também entrevistaram as crianças quando elas completavam 10 anos e, quando tinham 17, elas também responderam a questionários sobre seus relacionamentos com os colegas e comportamento.
Crescer numa família diferente da tradicional não é exatamente fácil: 41% das crianças disseram ter sofrido algum tipo de discriminação por causa da situação. Mas o peso do preconceito diminuía conforme as crianças cresciam. Aos 17 anos,
elas não eram mais estressadas do que os adolescentes criados em lares heterossexuais.
Os pesquisadores não entenderam muito o resultado da pesquisa – não estavam esperando encontrar qualquer diferença –, mas arriscam uma explicação. “As mães estão mais envolvidas na vida das crianças”, disse Gatrell. “E isso é sempre uma boa receita para garantir um desenvolvimento saudável. Estar presente, conversar sempre, ir à escola, ver o que está acontecendo por lá é muito, muito importante”.
É muito cedo para tirar conclusões sobre o efeito da orientação sexual dos pais na criação dos filhos – poucas famílias foram estudadas e poucos estudos são de longo prazo, como esse. Mas não deixa de ser interessante notar que a maioria das pesquisas não encontrou nenhuma diferença no desenvolvimento de crianças criadas em lares hétero e homo e que o estudo publicado hoje sugere até uma certa vantagem.
Mas, ao que parece, uma boa parte da população brasileira reluta em aceitar essas novas famílias. Segundo uma pesquisa feita pelo Datafolha, 51% dos brasileiros acham que os gays não devem ter direito de adotar uma criança.
As dificuldades vividas pelas lésbicas são positivas para os filhos. De acordo com estudo da Universidade de Copenhague, filhos de lésbicas têm menos possibilidades de desenvolver doenças psíquicas do que crianças que cresceram com pais heterossexuais. A pesquisa concluiu que 5% das crianças de família heterossexual desenvolveram condições como depressão e anorexia entre 1992 e 2008, em oposição a 2% das crianças que foram criadas por duas mães.

Merete Lauberg, do Departamento de Saúde Pública da Universidade de Copenhague, disse que uma razão para essa diferença seria que mães lésbicas encontram mais resistência em suas vidas do que pais homossexuais. "Resistência faz você mais forte, e isso pode ser passado para os filhos", afirmou.
Outra razão é que as mães lésbicas se esforçam mais para terem filhos, segundo o psiquiatra Per Hove Thomsen: "Vários pais encontram dificuldades para gerar filhos, mas mães lésbicas encontram dificuldades particulares. As lésbicas tiveram que fazer esforços extras para ficarem grávidas e isso pode ter tido efeito nas crianças."
Em primeiro lugar pedi permissão para a minha amiga Gy para postar esse artigo que eu achei interessante e logicamente nos agradou muito. Em segundo lugar acredito muito na educação que oferecemos aos filhos, mas tb acredito demais no amor, no carinho, na atenção e dedicação à criança. Não adianta pagar uma escola cara, delegando aos professores a tarefa de educar se a criança ao final do dia não recebe atenção em casa, se nunca ouve um "eu te amo" e se a família acha que pode comprar o 'amor' dos filhos com presentinhos. Isso é muito comum. Então claro que qualquer criança que tiver uma família consciente e dedicada, saberá criar com muito amor e zelo de seus tesouros.
Estamos na casa dos meus pais (vamos passar o finde aqui), e como eu não trouxe fotos atuais para postar, resgatei do computador da minha mãe essas de quando a Brunna era pequeninha ainda para matarmos a saudade.
Beijinhos, Mamãe Kaká, Mamãe Mi e Princesa Brunna.

27 de jan de 2011

Sofá pra quê?


As minhas mamães são um pouco doidinhas: Decidiram doar nosso sofá depois de tanto pedirem para eu parar de pular em cima dele. Elas dizem que sou muito "perigosa" e estão se desfazendo de tudo que ofereça riscos dentro de casa, pois estou numa idade terrível. Então providenciaram uns almofadões e agora eu adoro deitar neles. Assim que eu crescer um pouco mais teremos sofá novamente em casa, rs.
Eu queria saber se meus amiguinhos e amiguinhas conseguem brincar sem fazer bagunça. A mamãe diz que a nossa sala mais parece uma loja de brinquedos, e segundo a tia Maíra, parece é um playgroud, rssss. Eu brinco muitoooo com meus brinquedos, mas as mamães não se importam com a bagunça não! Logo vou ficar mocinha e aprender a arrumar tudo depois. Porenquanto eu bagunço mais do que guardo e as mamães acabam arrumando para no dia seguinte eu começar tudo outra vez, rs.
Vejam como fica a nossa sala, que maravilha!!!

25 de jan de 2011

Menina Carinhosa

Na semana passada mandamos na mochila a câmera digital para as professoras tirarem algumas fotos da nossa branquelinha brincando na escola. No caminho ainda tiramos essas duas primeiras fotos (na rua) e depois escolhi as melhores dela no pátio da escola para mostrar aqui. Ela ferve tanto por lá que chega em casa mega cansada, toma um banho gostosinho, ganha massagem, janta, assiste um pouco de dvd e já quer dormir. Mais tarde oferecemos um mamazinho para ela ñ ficar com fome durante a noite e daí acorda mesmo só pela manhã.
Ela agora tem se mostrado muito carinhosa tb com as professoras, mas não apenas com as do berçário, mas com as de todas as turmas. Ela vai com todas, pede "cóul" (colo), abraça, joga beijos, sorri e conversa sem parar. E em casa então, a cada dia está mais e mais amável e adora demonstrar carinho pelas mamães. A gente se derrete.



Ela adora bebezinhos, mas para brincar sempre prefere os "grandinhos".

24 de jan de 2011

Contando os dias para as férias da mamãe!

Esse fim de semana fiquei o tempo todo no ar condicionado da vovó, pois estava muito quente. Sexta-feira as mamães sairam pra jantar fora e depois foram ao teatro e eu fiquei com a vovó, o vovô e o dindo. Sábado fomos passear no Shopping e jantar fora para comemorar o aniversário da dinda Fê. E domingo mais curtição na casa da vovó!
Agora a mamãe trabalha mais essa semaninha e já entra de férias. Mais tempo pra ficar comigo, oba!!! =) Estamos contando os dias...
Planejamos muitos passeios, viagens e atividades divertidas para essas férias. E isso é muito legal!
E vivaaaaaa o verão!!! =]
----------------------------------------------
E a pequena continua tagarelando sem parar, a maioria das vezes numa língua que só ela entende, rs. Ela fala "bebenês", hehe. Mas novas palavrinhas já vão surgindo... Ontem ela queria subir por tudo (normal, né?) e o vovô dizia pra ela: "cuida! cuida!" E ela saiu andando pela casa toda repetindo: "cuda, cuda, cuda, cuda..." igual a um papaguaio, rsssss. Outro dia a Mami estava dando pêssego e ela enxergou o pacote de pão em cima da mesa e falou: "nãaaa, pôm!" Ela não queria pêssego e sim pão. É mole? Já se faz entender! Semana passada ela chegou da escolinha meio chorosa, de repente colocou as mãos na cabeça e começou a gritar: "dóiiii, auuu, dóiiii..." e nos deu um susto com um choro realmente de dor. Aí começou a fazer ânsia. Demos tylenol e dramin, um banho morninho e deitamos com ela. Fiquei fazendo carinho pra ela se acalmar. Aos poucos foi melhorando. E apesar da situação ter nos deixado tb com dor de cabeça (e nervosas) é muito bom saber que agora ela mesma já sabe mostrar onde dói e daí podemos ajudá-la com precisão. Por falar em "dói", outro dia no caminho da escolinha a Brunna esfolou o joelho. Qdo a Mami a entregou pediu para q eu passasse um antiséptico (eu estava trabalhando no momento). Quando fui passar perguntei: "cadê o dodói?" Ela colocou a mão no joelho e com cara de MUITA dor fez: "au, au, au..." Hahahaha. Ela é uma perfeita atriz! Aí diz q na volta da escolinha qdo passaram pelo local q ela havia caído ela lembrou e colocou a mão no joelho fazendo a mesma cara de dor e dizendo: "au, au, au..." Hahahaha. Agora qdo perguntamos "cadê o dodói?" Ela sempre faz isso, mesmo sem machucado, pois até já sarou.

Na casa da Vovó do Babynoivinho!

A princesinha já está dormindo e eu voltei para terminar de postar as fotos de domingo retrasado. A explicação desse dia está no post anterior!
A Brunna ficou toda linda com o biquine novo da Lilica Ripilica. Ficou um pouco grandinho nela, mas tudo bem. =)
Os pequenos curtiram demais essa tarde quente de verão!!!











































Uma tarde de domingo (retrasado!)

Estou com fotos do fim de semana retrasado ainda para postar, mas como reduzo e coloco marquinhas em todas elas, às vezes demoro um pouquinho para conseguir atualizar tudo.
Essas fotinhos de vestido azul estávamos indo na casa da vovó dos amiguinhos Lucas e (babynoivinho) Diego. A tia Pati ligou chamando a princesinha pra brincar na piscina com eles. Fui com meu smart baby e a tarde foi muito gostosa!!!
Levei meus brinquedinhos de água para brincarmos na piscina e nos divertimos demais.
A vovó do Di e do Lucas fez um bolo delicioso e comprou sorvete pra gente. =)
Tiramos fotos, claro, não podia faltar essa parte, rs.
Ao chegar em casa, tomei um super banho de banheira e a mamãe fez massagem com o gel turma da mônica. Adorei! Aliás, eu amo ganhar massagem e carinho. Fico quietinha curtindo o momento.
Seguem fotos do nosso trajeto até a casa da vovó do Di e do Lucas:
Vou ali dar banho na princesa e ajudá-la a adormecer, depois volto para terminar de postar as fotos desse dia. Farei outro post com as fotos deles brincando na piscina. Beijinhos!

20 de jan de 2011

O primeiro crocks da princesa!

Foto de segunda-feira, na volta da escolinha. :0)
Brunna estreando seu primeiro crocks (azul da Hello Kitty) lindo!!!
Desde o dia em que compramos não quis mais tirar do pé. Ela amou.








































19 de jan de 2011

De lancheira e mochila, pronta pra escolinha!

De bolinhas da cabeça aos pés, pronta para ir à Escolinha!
Nossa princesinha estilosa que adora brincar com os coleguinhas, coloca a lancheira nas costas, puxa sua mochila de rodinhas e já acha que é grande, rs.
Chega na escolinha e abre um berreiro para entrar, mas depois de 3 minutinhos já está correndo, brincando e dançando. Ela gosta é de fazer um charminho para as mamães.
Amanhã ela vai pela manhã na escolinha junto com a mamãe, vai ser um pouco mais difícil, mas terá que se adaptar, pois a partir de março será sempre assim.