2 de abr de 2012

A terrível crise dos 2 anos

Esse crise é comum e normalmente acontece a partir de 1 ano e meio até os 3 anos de idade. A adolescência do bebê, primeira adolescência ou os “terrible twos” – terríveis dois anos, em inglês –, como citado na literatura, é a fase em que a criança passa a se comportar de modo opositivo às solicitações dos pais. De repente, a criança que outrora era tida como obediente e tranquila passa a berrar e espernear diante de qualquer contrariedade. Bate, debate-se, atira o que estiver à mão e choraminga cada vez que solicita algo. Diz não para tudo, resiste em seguir qualquer orientação, a aceitar com tranquilidade as decisões dos pais, para trocar uma roupa, sair de um local ou guardar um brinquedo. Para completar, não atende aos pedidos e parece ser sempre do contra.
A causa para esse período é simplesmente o próprio desenvolvimento natural da criança. A fase dos 2 anos de idade é um período de grandes mudanças para ela. Até então, o pequeno seguia os modelos e as decisões dos pais. Gradualmente, ele passa a se perceber como indivíduo, com desejos e opiniões próprias, e isso gera uma enorme necessidade de tomar decisões e fazer escolhas por si. Sem dúvida, isso acaba gerando uma grande resistência em seguir os pedidos dos pais. Não é exatamente uma ação consciente da criança, mas uma tentativa de atender a esse desejo interior, a essa descoberta de si como um ser independente dos pais. No entanto, ao mesmo tempo em que ela quer tomar suas decisões, ainda tem muitas dificuldades para fazê-lo, dado que ainda não tem maturidade suficiente. Ela discorda até dela mesma! Se você pergunta o que ela quer comer, naturalmente ela responderá: “Macarrão”. Mas, quando você chega com o prato de comida, ela diz: “Eu não quero isso!” Suponha que você está com pressa para ir a algum lugar. Seu filho está de ótimo humor até você dizer: “Preciso que você entre no carro agora”. Ele fará tudo, menos atender à sua solicitação. É uma fase difícil para os pais e também para as crianças. É uma experiência intensa emocionalmente e repleta de conflitos, pois, ao mesmo tempo em que a criança busca essa identidade, ela não quer desagradar seus pais – por mais que isso não pareça possível. (Do site bebe.com.br)


Achei muito interessante essa matéria acima (parte dela está aqui, pq fiz só um apanhado) e a Brunna com 2 anos e 9 meses entrou nessa crise. Quando achei que ela por estar com quase 3 aninhos não passaria por isso, me enganei. Hoje ela está completando 2 anos e 10 meses (parabéns filhota!) e faz exatamente 1 mês que a Brunna tem se mostrado diferente. Está teimosa, irritada, chora por tudo. Se não consegue montar um joguinho grita, chora, joga longe. Se dizemos 'não' pra ela, a mesma coisa: grita, chora, se atira. Estamos tentando lidar da melhor forma, mas tem momentos que nossa, como é complicado! Estamos torcendo para essa fase passar logo e termos de volta a nossa doce menina. :)

Nenhum comentário: